quarta-feira, 11 de agosto de 2010

C

CALVINISMO
O calvinismo foi uma doutrina criada por João Calvino (século XVI), um dos principais reformadores protestantes. Na escola de Calvino, em Genebra, receberam instruções os fundadores da Igreja Presbiteriana. Calvino tentou transformar Genebra num Estado de fé Calvinista. Queria criar uma teocracia - forma de governo em que a autoridade, emanada dos deuses ou de Deus, é exercida por seus representantes na Terra. Assim, estabeleceu leis que foram dirigidas por suas doutrinas religiosas, abriu escolas, estimulou o comércio exterior, proibiu jogos de azar, alcoolismo, danças e outros.
Fonte: http://www.ebah.com.br/calvinismo-doc-a2175.html  

CAPITALISMO COMERCIAL

Baseado nas trocas comerciais, cada vez mais internacionalizada, e na colonização das Américas, Africa e Asia.
Fonte: http://www.rafaelzambe.hpg.com.br/Sociedade/10/interna_hpg4.html  


Essa etapa do capitalismo se estendeu do século XV até XVIII. Houve uma expansão de potencias, como Espanha e Portugal, que tinham como objetivo descobrir uma nova rota para as Índias, e tirar a supremacia da Itália no comércio com o Oriente, através do Mediterrâneo.
Foi uma época marcada por Grandes Navegações e descobrimentos, mas também de escravidão e genocídios de muitos nativos da América e África. Os europeus comandaram esse processo de colonização e exploração.
Esse termo capitalismo comercial se deu porque o acúmulo de riquezas ocorreu por meio do comércio. A economia nesse período funcionava sob a intervenção governamental, pois promover e aumentar o poder do Estado. A riqueza e o poder de um país era medida pela quantidade de ouro, prata e pedras preciosas.
Durante o capitalismo comercial tudo que pudesse ser vendido como lucro virava mercadoria na mão dos comerciantes europeus. O negócio mais lucrativo foi o tráfico de escravos negros.
Neste período também se acumulava riquezas tendo uma balança comercial favorável, ou seja, mais exportar do que importar. As colônias garantiam grande lucro, visto que eram obrigadas a vender os seus produtos por preços baixos, e comprar das metrópoles coisas que necessitavam por preços altos.
Essa fase foi fundamental para se desenvolver o capitalismo, pois permitiu o grande acúmulo de capitais na mão da burguesia européia. Essa acumulação inicial de capitais criou condições, no Reino Unido e depois em outros países, para que ocorresse a Revolução Industrial.
Fonte: http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/arlindojunior/geografia005.asp

CAPITALISMO FINANCEIRO
Umas das consequências mais importantes do crescimento acelerado da economia Capitalista foi brutal processo de centralização dos capitais. Várias empresas surgiram e cresceram rapidamente: Indústrias, Bancos, Corretoras de Valores, Casas Comerciais e etc... A acirrada concorrência favoreceu as grandes empresas, levando a fusões e incorporações que resultaram a partir dos fins do século XIX, na monopolização de muitos setores da economia.
Fonte: http://www.rafaelzambe.hpg.com.br/Sociedade/10/interna_hpg4.html

O Capitalismo financeiro foi aquele que aconteceu entre o final do século XIX até a crise de 1929 (é diretamente ligado com o forte crescimento econômico que se registrava neste período de plena expansão da Revolução Industrial).
Foi o resultado da revolução de transportes (em especial a máquina a vapor) que originou profundas alterações na vida econômica (inovações tecnológicas, alargamento dos mercados, dentre outros) e exigiu muitos investimentos que só estavam ao alcance de grandes empresas; Com todo esse contexto, elas sentiram necessidade de se expandirem investindo em máquinas e instalações e recorrendo a processos de concentração empresarial. Era "financeiro”, pois os bancos participavam ativamente na atividade econômica (emprestando dinheiro às empresas ou investindo diretamente), e era também intervencionista, já que o Estado intervinha para restringir o poder dos monopólios. Pode se resumir como a época em que o grande comércio/grande indústria são controlados pelo poder econômico dos bancos e de outras instituições financeiras.O Capitalismo comprava as ações da Globodyme em troca de manufaturas e matéria-prima para promover produtos industrializados para a Europa.O Capitalismo Financeiro foi muito importante para os países da America Central e do Sul, pois levou até os continentes o melhor transporte público (trens, ônibus, etc)
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo_financeiro

CAPITALISMO INDUSTRIAL
O surgimento do capitalismo industrial se deve em grande parte do desenvolvimento tecnológico. As empresas evoluíram de manufatureiras para mecanizadas. O Capitalismo Industrial é uma fase da história do capitalismo que ocorreu de 1780 a 1870, na qual as classes sociais dividem-se em: trabalhadores assalariados (trabalhadores), proprietários de terra arrendada (emprestada sob determinadas condições) e a burguesia industrial.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Capitalismo_industrial


O capitalismo industrial, firmando-se como novo modo de vida, fez com que o trabalho assalariado se tornasse generalizado. O homem passou, assim, a comprar o trabalho de outro homem por meio de salário. A Revolução Industrial tornou mais intensa a competição entre os países industriais, para obter matérias-primas, produzir e vender seus produtos no mundo, fazendo surgir um novo colonialismo no século XIX – o imperialismo.
Fonte: http://www.grupoescolar.com/materia/capitalismo_industrial.html


O capitalismo industrial foi marcado por transformações na economia, na sociedade, na política e cultura. Uma de suas características mais importantes foi a de transformar da natureza, uma quantidade bem maior de produtos aos consumidores, o que multiplicava o lucro dos produtores.
A essência do sistema não era mais o comércio. O bom lucro vinha da produção de mercadorias.
O mecanismo da exploração capitalista foi chamada por Karl Marx de mais valia
Fonte: http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/arlindojunior/geografia005.asp  

CARTEL
Conceito de Cartel
Um cartel consiste numa organização de empresas independentes entre si, que produzem o mesmo tipo de bens e que se associam para elevar os preços de venda e limitar a produção, criando assim uma situação semelhante a um monopólio (no sentido em que as empresas cartelizadas funcionam como uma única empresa). Estes tipos de acordos podem concretizar-se pela fixação conjunta dos preços de venda, pela divisão do mercado entre si ou pela fixação de quotas de produção para cada uma das empresas participantes.
Devido às limitações que provocam na concorrência e consequente ineficiências de mercado, este tipo de conluios são proibidos na maioria dos países em que vigora a economia de mercado (através das leis anti-trust). Os exemplos mais sugestivos deste tipo de leis são a lei Sherman e a lei Clayton, ambas norte-americanas.
Além dos carteis formados por empresas, podem também ser formados carteis entre países, os quais procuram controlar a oferta de determinado bem. O cartel de países mais conhecido é a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), o qual é constituído pela maioria dos maiores produtores de petróleo. Embora a OPEP não tenha o domínio absoluto do mercado, consegue ter uma influência extremamente forte através do seu sistema de fixação de quotas de produção para cada um dos países membros.
Fonte: http://www.knoow.net/cienceconempr/economia/cartel.htm

CELTAS
Os Celtas foram povos guerreiros, provavelmente originários do sudoeste da Alemanha, que dominaram grande parte da Europa ao longo de quatro séculos. Após terem invadido a França, a Suíça e as ilhas Britânicas, saquearam Roma em 390 a.C. Mais tarde, ocuparam a Península Ibérica e dirigiram-se para o Oriente e atingiram a Ásia Menor onde fundaram o reino chamado Galácia, tendo alcançado o auge de seu poder por volta do ano 250 a.C. Como estavam organizados em unidades tribais, sem contar com uma unidade política central, os celtas acabaram por sofrer os efeitos de sua própria expansão territorial e desmembraram-se em vários grupos. A maioria dos que habitavam o continente europeu forma dominados pelos romanos e germanos. Os que habitavam as ilhas britânicas, que não sofreram pressões tão violentas, puderam conservar seus próprios idiomas. Ali subsistem ainda o gaélico, falado em certas pares da Irlanda e da Escócia, e o galês, idioma do País de Gales.
Fonte: http://www.sohistoria.com.br/dicionario/#


CLERO
O clero era formado pelas pessoas ligadas à Igreja Católica. Existia o clero secular, que vivia junto ao resto da população (padres, bispos, arcebispos) e o clero regular, que vivia em mosteiros (monges, freiras). Todos eles tinham direitos semelhantes: não pagavam imposto ao rei, recolhiam a dízima (imposto pago pelo povo) e só deviam obediência ao Papa. Viviam em paróquias (padres), dioceses (bispos) e mosteiros ou conventos ( monges e freiras).
Fonte: http://www.malhatlantica.pt/seculoXIII/clero.htm

CONGLOMERADO
Em economia, conglomerado é uma forma de oligopólio na qual várias empresas que atuam em setores diversos se unem para tentar dominar determinada oferta de produtos e/ou serviços, sendo em geral administradas por uma holding. Um exemplo são as grandes corporações que dominam desde a extração da matéria-prima como o transporte de seu produto já industrializado, ou seja, um truste.
Um exemplo de conglomerado é a empresa Mitsubishi, que fabrica desde carros até canetas, ou a LG Group, que fabrica de celulares, notebooks e televisores, até eletrodomésticos e produtos petroquímicos.
Muitos trustes, constituídos no final do século XIX e inicio do século XX, transformaram-se em conglomerados. Resultantes de um amplo processo de concentração e centralização de capitais de uma crescente ampliação e diversificação dos negócios, com o intuito de dominar a oferta de determinados produtos no mercado, os conglomerados, também chamados de grupos ou corporações, são o exemplo mais bem acabado de empresas do capitalismo monopolista.
Controlados por uma holding, eles atuam em diferentes setores da economia. O objetivo básico é a manutenção da estabilidade dos conglomerados, garantindo uma lucratividade média, já que há rentabilidades diferentes em cada setor.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Conglomerado_(economia)  

CONSTANTINOPLA
Constantinopla (em grego: Κωνσταντινούπολις, transl.: Konstantinoúpolis, "cidade de Constantino", Constantinopolis, em turco otomano formal: قسطنطينيه , Kostantiniyye), atual Istambul, foi a capital do Império Romano (330–395), do Império Bizantino ou Império Romano do Oriente (395–1204 e 1261–1453), do Império Latino (1204–1261) e do Império Otomano (1453–1922). Estrategicamente localizada entre o Corno de Ouro e o Mar de Mármara no ponto em que a Europa encontra a Ásia, a Constantinopla Bizantina havia sido a capital da Cristandade, sucessora das antigas Grécia e Roma. No decorrer da Idade Média, Constantinopla foi a maior e mais rica cidade da Europa, só a China possuia cidades maiores e mais ricas.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Constantinopla

Um comentário:

  1. valeu!!!me ajudou mt mt mt mt
    obigaduuuuuuuuu
    espero ahar outras coisas importantes

    ResponderExcluir