quarta-feira, 11 de agosto de 2010

G

GERMÂNICOS
Os povos germânicos dividiam-se em numerosas tribos e receberam esse nome por habitarem a região da Germânia, que era uma região da Europa localizada além dos limites do Império Romano, mais precisamente entre os rios Reno, Vístula e Danúbio e os mares Báltico e do Norte.
No que se refere às origens étnicas do povo germânico, existem evidências coletadas por arqueólogos e lingüistas que levam a crer que, entre 1000 a.C. e 500 a.C., havia um povo ou um conjunto de povos que compartilhava uma cultura e uma estrutura social comum e que habitava a região que vai do sul da Escandinávia até o norte da Alemanha. A forte e duradoura permanência de tribos germânicas ao sul da Escandinávia é evidenciada pelo fato de não se terem encontrado localidade com nomes pré-germânicos na região, uma vez que apenas por volta de 2000 a.C. é que se tem notícia da chegada de uma língua indo-européia.
Uma curiosidade interessante é que os povos germânicos eram considerados “bárbaros” pelos povos romanos, nomenclatura essa que ficou bastante famosa. A palavra bárbaro, do grego bárbaroi, significa literalmente: estrangeiros, ou seja, que não comunicam-se por meio da língua grega e não compartilham a mesma cultura.
Fonte: http://www.infoescola.com/historia/povos-germanicos/

GOVERNANTE ABSOLUTISTA
Déspota, tirano. Alguém que tem o poder absoluto sobre o estado.
Na França, o longo processo de centralização do poder monárquico atingiu seu ponto culminante com o rei Luís XIV, conhecido como "Rei Sol", que reinou entre 1643 e 1715. A ele atribui-se a célebre frase "o Estado sou eu". Ao contrário de seus antecessores, recusou a figura de um "primeiro-ministro", reduziu a influência dos parlamentos regionais e jamais convocou os Estados Gerais.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Absolutismo

GRÃ-BRETANHA
A Grã-Bretanha é uma ilha da Europa que abrange a maior parte do país conhecido como Reino Unido. Nesta ilha estão três das quatro nações britânicas: Escócia, na parte norte; Inglaterra, no sul; e País de Gales, a oeste. A quarta nação, a Irlanda do Norte, situa-se na Ilha da Irlanda.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Gr%C3%A3-Bretanha

GUARDA PRETORIANA
Guarda pretoriana era o grupo de legionários experientes encarregados da proteção do praetorium, parte central do acampamento de uma legião romana, onde ficavam instalados os oficiais. Com a tomada do poder por Otávio Augusto, transformou-se em guarda pessoal do imperador.
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Guarda_pretoriana

GUERRA CIVIL

Luta armada entre grupos adversários dentro de um mesmo país. Embora haja com freqüência a participação de militares, chama-se guerra “civil” porque se trata de um conflito entre partes da sociedade, motivado por razões políticas, econômicas ou religiosas. No Brasil, já ocorreram diversas guerras civis. Uma delas foi a de 1932, quando as elites e uma parte da população do estado de São Paulo entraram em luta com o governo de Getúlio Vargas.
Fonte: http://www.sohistoria.com.br/dicionario/#


GUERRA DAS DUAS ROSAS
A Guerra das Duas Rosas foi uma série de longas e intermitentes lutas dinásticas pelo trono da Inglaterra, ocorridas ao longo de trinta anos de batalhas esporádicas (1455 e 1485), durante os reinados de Henrique VI, Eduardo IV e Ricardo III. Em campos opostos encontravam-se as casas de York e de Lancaster. As lutas pelo trono de Inglaterra entre famílias rivais dos descendentes de Eduardo III devem o seu nome aos símbolos das duas facções: uma rosa branca para a Casa de York, uma vermelha para a Casa de Lancaster (ambas de ascendência Plantageneta).
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_das_Rosas

GUERRA FRIA
A expressão Guerra Fria era utilizada para descrever o estado de forte tensão político-militar entre o bloco Ocidental liderado pelos Estados Unidos e o bloco de Leste liderado pela antiga União Soviética (URSS) que se viveu durante quase toda a segunda metade do século XX. Embora nunca se tenha chegado ao confronto armado entre os dois blocos, as agressões mútuas, de que se destacam a corrida aos armamentos, a intervenção em diversos conflitos regionais (de que são exemplos a guerra da Coréia, a guerra do Vietnam, a guerra de Angola, entre outras), a crise dos mísseis em Cuba e a questão de Berlim, faziam parecer que um novo conflito estava iminente. A Conferência de Helsinque em 1979 e a subida de Mikhail Gorbatchev ao poder na União Soviética viram atenuar o clima de tensão existente. Já no final da década de 1980, o desmembramento da União Soviética, o final do regime comunista nos diversos países do Leste Europeu e a quebra do Muro de Berlim colocaram um fim definitivo à Guerra Fria.
Fonte: http://www.sohistoria.com.br/dicionario/#

Nenhum comentário:

Postar um comentário